Aquaterrário para Tartarugas Aquáticas
Publicado na Aquamania Junho 2004

l

Um dos animais mais comuns nas lojas de animais portuguesas são as tartarugas aquáticas. Por alguns Euros, qualquer um pode comprar um destes animais e, pelo seu pequeno tamanho no acto da venda, geralmente bebés, são alojadas em globos de vidro, tartarugueiras de plástico minúsculas ou, as mais sortudas, num pequeno aquário de vidro. As necessidades destes animais vão muito para além desses pequenos recipientes porque a maior parte das espécies vendidas nas lojas de animais podem ultrapassar os 25-30 cms de carapaça. Infelizmente mais de metade morre porque as fracas condições que lhes são oferecidas e a alimentação pobre administrada, não lhes permite um tempo de vida superior a alguns meses.

As espécies mais comuns são as Trachemys  e Pseudemys, originárias do continente americano. Podem no entanto ser encontradas outras espécies aquáticas e semi-aquáticas em lojas de répteis especializadas, como a Tartaruga-folha-indiana (Cyclemys dentata), as Tartarugas-de-carapaça-dentada-africanas (Pelomedusa subrufa) ou ainda as Tartarugas-de-carapaça-mole-chinesas (Pelodiscus ou Trionyx sinensis), entre outras.

Ao comprar um destes exemplares, mesmo sendo uma cria de 5 centímetros, o comprador deve ter a consciência de que são necessárias algumas condições mínimas para que os animais sobrevivam mais do que alguns meses e de que esses animais vão crescer e vão precisar de espaço. Escolha animais que tenham a carapaça dura, olhos brilhantes e que nadem energicamente no aquario da loja á procura de comida. Tenha atenção a infecções nos olhos, na pele e carapaça e nunca escolha tartarugas que se movimentem pouco ou que estejam inertes.

Como em todos os animais, o Aquaterrário da tartaruga aquática ou semi-aquática deve ser o maior possível. Essas tartarugas vivem em rios ou lagos com temperaturas superiores ás nossas. As espécies de regiões temperadas sobrevivem melhor a temperaturas baixas, mas as de climas tropicais devem ser mantidas em aquaterrários aquecidos ou, se alojadas em lagos de jardim, devem ser-lhes dadas condições para que possam hibernar. A exposição solar é tão importante psicologicamente como fisiologicamente para uma tartaruga. Se mantidas num lago, este deve estar num local onde apanhe mais possível a luz solar. Se tiver as suas tartarugas no interior, o aquaterrário deverá ter um dispositivo que substitua a luz solar para lhes fornecer calor e radiações ultra-violeta.

A preparação de um Aquaterrário:

O ESPAÇO - Compre ou construa um aquário com a maior área possivel. Nos aquaterrários a altura não é muito importante pois as tartarugas não trepam vidros e como só vamos encher o aquário pela metade, quanto maior for a largura e comprimento, logo maior superficie e volume de água poderemos oferecer ás nossas tartarugas.

O SUBSTRACTO - Coloque no fundo do aquaterrário uma camada de 5 centímetros de espessura de substracto podendo ser areão fino de rio, areão grosso, pedras roladas de maior tamanho ou areia. Tente não colocar rochas, areão rugoso ou com arestas para evitar que apareçam ferimentos nos seus animais.

O FILTRO - Planeie qual o sistema de filtragem que pretende utilizar no seu aquário antes de começar a decoração. Pode optar por um filtro de fundo, filtro exterior ou filtro de cascata. Apesar de as tartarugas serem animais que podem sujar bastante a água, é de evitar a utilização de filtros muito potentes porque vai obrigar um grande esforço aos animais para nadarem contra a corrente provocada pela bomba. Este problema pode solucionar-se com uma limpeza frequente do filtro e a substituição total ou parcial da água.

A ÁGUA - Qualquer água que vá ser colocada no aquaterrário das suas tartarugas deverá ser acondicionada de modo a não prejudicar os seus animais. Já existem no mercado vários tipos de acondicionadores específicos para répteis mas numa fase inicial devemoscomeçar por ter cuidado em não usar águas com cloro. Trate a água com um anticloro, deixe a água repousar dois dias num recipiente aberto ou espere alguns dias com o aquaterrário montado antes de introduzir as tartarugas para que o cloro evapore.

A TEMPERATURA - Como foi dito anteriormente, estas tartarugas são originárias de zonas temperadas ou tropicais, daí que necessitem de temperaturas reguladas, tanto da água como no local de exposição á luz. O tipo de aquecimento da água do seu aquaterrário pode ser feito através de aquecedores com termostato (como os usados nos aquários) mas com um sistema hidrosafe para evitar que as suas tartarugas morram electrocutadas. Estes termostatos são fáceis de encontrar nas lojas de animais mas também pode optar por aquecer o aquaterrário com um tapete ou fio de aquecimento colocado debaixo do vidro do fundo, na parte exterior do aquaterrário. A água deve ser mantida todo o ano a uma temperatura nunca inferior a 20ºC.

A DECORAÇÃO - Ao pensar na decoração do seu aquaterrario, pense que as suas tartarugas vão precisar de um local de exposição á luz. Terão que, para isso, permanecer fora de água. Coloque no seu aquaterrário  uma rampa, uma rocha ou conjunto de rochas ou ainda um tronco seco mopani (dos utilizados nos aquários) acima da superfície da água. Por cima desse local coloque uma lampâda de aquecimento que emita raios UV. Nesse local, a temperatura poderá ir até aos 30ºC.

Dê os toques finais ao seu aquaterrário com elementos naturais ou decorativos que lhe deêm mais prazer de disfrutar desde que não prejudiquem as suas tartarugas.

O ALIMENTO - A ultima preocupação é de ter sempre á disposição dos seus animais a melhor e mais variada alimentação possível que lhes forneça todas as vitaminas, minerais e proteínas essenciais ao seu crescimento. A alimentação que mais facilmente se encontra nas lojas de animais é, infelizmente, pouco aconselhada e muito pobre a nível nutricional – os camarões secos. Nunca alimente a sua tartaruga somente deste alimento se quer que ela cresça saudável. Seria até um alimento a evitar. Uma tartaruga juvenil no estado selvagem alimenta-se mais de seres aquáticos como girinos, pequenos peixes e insectos, depois de crescer a sua dieta passa a incluir mais

vegetais sem nunca esquecer os peixe, caracóis e insectos. Nas nossas casas existem já granulados formulados especificamente para tartarugas aquáticas com todos os componentes essenciais para o seu crescimento. À medida que a sua tartaruga for crescendo, comece a dar-lhe também alguns vegetais. Existem também á venda nas lojas da especialidade menus secos constituídos por crustáceos, moluscos e insectos liofilizados ou até comida congelada para tartarugas. Qualquer uma delas superior aos “famosos” camarões secos.

 

Como nota final deixo aqui um aviso para que os possuidores e possíveis compradores de tartarugas aquáticas tenham consciência de que ao comprarem uma tartaruguinha em tamanho miniatura, estão a comprar um animal que vai crescer e ocupar bastante espaço. Nunca comprem uma tartaruga e depois, quando já não têm espaço, a abandonem ou a deitem num lago ou rio. Muitas das espécies á venda nas lojas de estimação fazem já parte da fauna local de países tão diferentes como o Hawai, Australia, Japão, França e muitos outros. Tudo isto devido á forte sobrevivência dos animais abandonados e deitados aos rios e lagos por donos que já não as queriam em casa. Estes animais destruíram por completo ecossistemas e levaram á extinção muitos seres vivos que viviam nesses locais antes das tartarugas ali terem sido introduzidas. O mais recente caso foi a espécie Trachemys scripta elegans a Tartaruga-de-faces-rosadas também conhecida por Tartaruga de orelhas vermelhas, muito comum nas lojas ainda há meia dúzia de anos e hoje em dia é proíbida a sua venda nas lojas de animais de muitos países, incluindo Portugal, pela sua fácil adaptação e grande destruição dos nossos ecossistemas aquáticos.

 

Não deixe de disfrutar do prazer de ter um animal fantástico e inteligente como este na sua casa, mas também não se esqueça que uma tartaruguinha não é um brinquedo descartável!…

 

 

José Santos

 

 

Texto e Fotos

Propriedade de José Santos